Você vai ter • A Bacia das Almas

 

Paulo Brabo, 07 de julho de 2011

Você vai ter

Estocado em Goiabas Roubadas

Você vai ter sorrisos sobre o rosto
como em janeiro grilos e estrelas,

Avrai, Gianni Morandi | Clique no triângulo para ouvir

histórias fotografadas dentro de um álbum
encadernado em couro,
o estrondo de aviões supersônicos que fazem
erguer a cabeça,
e a penumbra do alvorecer que se faz de prata
na janela

Vai ter um telefone perto, que já quer dizer esperar;
espuma de vagalhões insanos
que se perseguem no mar,
e calças compridas brancas para tirar para fora
que o verão já chegou,
e um trem sem paradas América adentro

Vai ter duas lágrimas mais doces pra secar,
um sol que se mata e pescadores de mariscos,
e neve de montanhas e chuva de colinas,
vai ter um palito de chicabon pra chupar

Vai ter uma mulher irritada e uma jovem dor,
alamedas de folhas em chamas
a incendiar-lhe o coração,
vai ter uma cadeira para repousar
e horas vazias como ovo de chocolate,
e um amigo que lhe terá iludido, traído, enganado

Vai ter, vai ter, vai ter
seu tempo para andar distante,
caminhará esquecendo
e vai parar sonhando
Vai ter, vai ter, vai ter
a minha mesma triste esperança,
e sentirá não ter amado jamais o bastante
se tiver, se tiver amor

Vai ter palavras novas pra procurar
quando chegar a noite
e cem pontes para passar fazendo retinir os gradis,
o primeiro cigarro a lhe fumar na boca
um pouco de tosse,
Natal de azevinho e velinhas vermelhas

Vai ter um trabalho pra suar,
manhãs encharcadas de calafrios e orvalho,
jogos eletrônicos e pedras pela estrada,
vai ter lembranças,
guarda-chuvas
e chaves pra esquecer

Vai ter carinhos pra falar com os cães,
e será sempre domingo amanhã,
vai ter discursos fechados dentro de si e mãos
que reviram os bolsos da vida
e um rádio para ouvir que a guerra terminou

Vai ter, vai ter, vai ter
seu tempo para andar distante,
caminhará esquecendo
e vai parar sonhando
Vai ter, vai ter, vai ter
a minha mesma triste esperança,
e sentirá não ter amado jamais o bastante
se tiver, se tiver amor

* * *

Avrai sorrisi sul tuo viso come ad agosto grilli e stelle
storie fotografate dentro un album rilegato in pelle
tuoni di aerei supersonici che fanno alzar la testa
e il buio all’alba che si fa d’argento alla finestra

Avrai un telefono vicino che vuol dire già aspettare
schiuma di cavalloni pazzi che s’inseguono nel mare
e pantaloni bianchi da tirare fuori che è già estate
un treno per l’America senza fermate

Avrai due lacrime più dolci da seccare
un sole che si uccide e pescatori di telline
e neve di montagne e pioggia di colline
avrai un legnetto di cremino da succhiare

Avrai una donna acerba e un giovane dolore
viali di foglie in fiamme ad incendiarti il cuore
avrai una sedia per posarti e ore
vuote come uova di cioccolato
ed un amico che ti avrà deluso tradito ingannato

Avrai avrai avrai
il tuo tempo per andar lontano
camminerai dimenticando
ti fermerai sognando
Avrai avrai avrai
la stessa mia triste speranza
e sentirai di non avere amato mai abbastanza
se amore amore avrai

Avrai parole nuove da cercare quando viene sera
e cento ponti da passare e far suonare la ringhiera
la prima sigaretta che ti fuma in bocca un po’ di tosse
Natale di agrifoglio e candeline rosse

Avrai un lavoro da sudare
mattini fradici di brividi e rugiada
giochi elettronici e sassi per la strada
avrai ricordi ombrelli e chiavi da scordare

Avrai carezze per parlare con i cani
e sarГ sempre di domenica domani
e avrai discorsi chiusi dentro e mani
che frugano le tasche della vita
ed una radio per sentire che la guerra è finita

Avrai avrai avrai
il tuo tempo per andar lontano
camminerai dimenticando ti fermerai sognando
Avrai avrai avrai
la stessa mia triste speranza
e sentirai di non avere amato mai abbastanza
se amore amore amore avrai

Gianni Morandi e a benção que Claudio Baglioni proferiu
sobre o nascimento de seu filho, Giovanni Baglioni

Este documento contém clipes de áudio que só podem ser ouvidos na página da Bacia na internet.

Paulo Brabo @saobrabo

Escrevo livros, faço desenhos e desenho letras. A Bacia das Almas é repositório final de ideias condenadas à reformulação eterna.

Arquivado sob as rubricas

 

<
>

Depositado em juízo por Paulo Brabo · Desde 2004 · Sobre o autor e esta Bacia · Leia um livro · Olhe desenhos · Versões digitais dos manuscritos da Biblioteca do Monastério de São Brabo nas Índias Ocidentais · Fale comigo · A Bacia das Almas já foi refutada mais de uma vez por teólogos abalizados