Vis, e anfitriões encantadores • A Bacia das Almas

 

Paulo Brabo, 08 de outubro de 2014

Vis, e anfitriões encantadores

Estocado em Goiabas Roubadas · Política

[Há um tipo de jornalismo que] apela para um pressuposto confortável que temos, o de que pessoas com ideias péssimas são reconhecivelmente monstruosas – quando a verdade é que alguns dos indivíduos com as posturas mais vis da terra podem ser anfitriões encantadores em um jantar.

[…] O grande problema é o modo como entendemos virtude e maldade. Para o lado mais superficial do debate político e para o sensacionalismo na mídia é conveniente imaginar que de algum modo todas as virtudes (ou vícios) vem juntas, num pacote: uma pessoa boa vai ser boa por completo, uma pessoa má completamente má. É um ponto de vista antigo (e Aristóteles tem muito a responder sobre o assunto), mas ele embrutece a cultura política, é quase sempre uma grosseira simplificação e compromete nossa capacidade de lidar com racismo, terrorismo, discriminação ou o que for.

Mary Beard, em A Don’s Life

 

Leia também:
Os que menos são
A coisa mais superficial

Paulo Brabo @saobrabo

Escrevo livros, faço desenhos e desenho letras. A Bacia das Almas é repositório final de ideias condenadas à reformulação eterna.

Arquivado sob as rubricas

 

<
>

Depositado em juízo por Paulo Brabo · Desde 2004 · Sobre o autor e esta Bacia · Leia um livro · Olhe desenhos · Versões digitais dos manuscritos da Biblioteca do Monastério de São Brabo nas Índias Ocidentais · Fale comigo · A Bacia das Almas tem o direito de ficar calada