Uma contagem • A Bacia das Almas

 

Paulo Brabo, 13 de outubro de 2014

Uma contagem

Estocado em Goiabas Roubadas

Nasrudin estava andando pelo bazar com um grupo de seguidores. Tudo que Nasrudin fazia seus seguidores copiavam imediatamente. A cada poucos passos Nasrudin parava, sacudia as mãos, tocava os pés e pulava gritando “Hu! Hu! Hu!”. Seus seguidores paravam e faziam a mesma coisa.

Um dos mercadores, que conhecia Nasrudin, perguntou-lhe à parte:

– O que você está fazendo, amigo velho? Quem é essa gente imitando você?

– Virei um sábio sufi – disse Nasrudin. – Esses são meus discípulos: estou ajudando-os a encontrar a luz.

– E como você sabe dizer quando eles já encontraram a luz?

– Essa é a parte fácil! Toda manhã faço uma contagem: aqueles que foram embora encontraram a luz.

Uma das histórias atribuídas ao sábio sufi Nasrudin

 

Paulo Brabo @saobrabo

Escrevo livros, faço desenhos e desenho letras. A Bacia das Almas é repositório final de ideias condenadas à reformulação eterna.

Arquivado sob as rubricas

 

<
>

Depositado em juízo por Paulo Brabo · Desde 2004 · Sobre o autor e esta Bacia · Leia um livro · Olhe desenhos · Versões digitais dos manuscritos da Biblioteca do Monastério de São Brabo nas Índias Ocidentais · Fale comigo · A Bacia das Almas está desde 2004 sem chegar a lugar algum