O nascimento de Abraão

ABRAÃO: O nascimento de Abraão

Tera casou-se com Emtelai, filha de Karnavo, e o fruto da sua união foi Abraão. Seu nascimento tinha sido lido nas estrelas por Ninrode, pois esse rei perverso era também um hábil astrólogo, e ficou manifesto a ele que nos seus dias nasceria um homem que se levantaria contra ele e exporia triunfalmente a mentira da sua religião. Em seu terror diante do destino previsto para ele pelas estrelas, Ninrode mandou chamar seus príncipes e governadores, e pediu-lhes que o aconselhassem a respeito da questão.

Eles responderam:

— Nossa recomendação unânime é que o senhor construa uma grande casa, coloque Continue lendo →

As gerações perversas

ABRAÃO: As gerações perversas

Entre Noé e Abraão houve dez gerações; isso ocorreu de modo a demonstrar a clemência de Deus, porque todas essas gerações provocaram a sua ira, até que nosso pai Abraão veio e recebeu a recompensa por todas. Foi por causa de Abraão que Deus se mostrou longânimo e paciente durante as vidas dessas dez gerações.

Não apenas isso, o próprio mundo foi criado devido aos méritos de Abraão. Seu advento foi revelado a seu ancestral Reú, que proferiu a seguinte profecia por ocasião do nascimento de seu filho Serugue: “Desta criança, na quarta geração, nascerá aquele que fará sua habitação Continue lendo →

A torre de Babel

NOÉ: A torre de Babel

A perversidade e a irreligiosidade de Ninrode atingiram seu clímax na construção da torre de Babel. Seus conselheiros apresentaram o projeto de edificação da torre, Ninrode concordou, e foi executado em Sinar por uma multidão de seiscentos mil homens. O empreendimento era nada mais nada menos do que rebelião contra Deus, e entre os edificadores havia três classes de rebeldes. O primeiro grupo dizia “subamos até o céu e travemos guerra contra ele”, o segundo grupo dizia “subamos até o céu, instalemos ali nossos ídolos e prestemos adoração a eles”, e o terceiro dizia “subamos Continue lendo →

Ninrode

NOÉ: Ninrode

O primeiro líder a corromper os homens foi Ninrode. Seu pai, Cuche, havia casado com a mãe de Ninrode já em idade avançada. Na qualidade de filho da sua velhice, Ninrode, fruto dessa união tardia, era especialmente querido por ele.

O pai de Ninrode deu a ele roupas feitas das peles com as quais Deus cobrira Adão e Eva na ocasião em que deixaram o Paraíso. Cuche havia chegado à posse delas através de Cão. De Adão e Eva as peles haviam passado a Enoque, e dele a Matusalém, e dele a Noé, e este as havia levado consigo para dentro da arca. Quando os ocupantes da arca estavam para deixar o seu refúgio, Cão roubara Continue lendo →

A depravação da humanidade

NOÉ: A depravação da humanidade

Com a expansão da humanidade a corrupção acentuou-se. Enquanto Noé era vivo os descendentes de Sem, Cão e Jafé apontaram um príncipe para governar cada um dos três grupos: Ninrode sobre os descendentes de Cão, Joctã sobre os descendentes de Sem e Feneque sobre os descendentes de Jafé. Dez anos depois da morte de Noé o número de pessoas sujeitas aos três príncipes era da escala de milhões.

Quando esse enorme contingente de homens, em suas incursões, chegou à Babilônia, disseram uns aos outros:

— Vejam, chegará a hora em que, no fim dos dias, vizinho se apartará de vizinho e irmão Continue lendo →

Os descendentes de Noé espalham-se pelo mundo

NOÉ: Os descendentes de Noé espalham-se pelo mundo

Quando ficou sabendo que seu pai o havia amaldiçoado, Cão fugiu envergonhado, e fixou-se com sua família numa cidade construída por ele, à qual deu o nome de sua esposa, Neelatamauque. Com inveja de seu irmão, Jafé seguiu seu exemplo: construiu uma cidade e deu a ela o nome de sua esposa, Adataneses. Sem foi o único filho de Noé que não o abandonou. Nas redondezas da casa do pai, junto à montanha, Sem construiu sua cidade, à qual deu também o nome de sua esposa, Zedequetelbabe. Essas três cidades ficam próximas ao monte Lubar, a elevação sobre a qual repousou a arca. Continue lendo →

A maldição da embriaguez

NOÉ: A maldição da embriaguez

Noé perdeu a alcunha de “piedoso” quando começou a ocupar-se da sua vinha. Ele tornou-se um “homem da terra”, e essa primeira tentativa de produzir vinho gerou, ao mesmo tempo, o primeiro a beber em excesso, o primeiro a amaldiçoar seus familiares e o primeiro a instituir a escravidão.

Aconteceu assim: Noé encontrou a vinha que Adão trouxera consigo do Paraíso, por ocasião da sua expulsão. Noé experimentou as uvas, achou-as saborosas e resolveu plantar a vinha e cuidar dela.

No mesmo dia em que ele plantou a vinha ela deu fruto, e no mesmo dia ele colocou-a na prensa de lagar, Continue lendo →

Noé sai da arca

NOÉ: Noé sai da arca

Embora a terra tenha assumido sua antiga condição ao fim do ano de punição, Noé não saiu da arca até receber de Deus ordem para fazê-lo. Ele disse a si mesmo: “Ao comando de Deus entrei na arca; a seu comando sairei dela”.

Porém quando Deus lhe disse que saísse da arca Noé se recusou, pois temia que depois de viver sob terra seca por algum tempo e gerar filhos, Deus traria outro dilúvio. Ele não saiu da arca até Deus jurar que jamais voltaria a visitar a terra com um dilúvio.

“Isso eu lhe disse para que você pudesse implorar misericórdia para a terra”.

Quando saiu da arca e pisou em céu aberto, Noé chorou amargamente diante da devastação causada pelo dilúvio, Continue lendo →

O dilúvio

NOÉ: O dilúvio

Recolher os animais para dentro da arca foi a parte mais fácil da tarefa imposta sobre Noé. Seu maior desafio foi prover-lhes acomodações e comida para um ano.

Muitos anos mais tarde Sem, filho de Noé, relatou a Eliezer, servo de Abraão, a história das suas experiências com os animais dentro da arca. Eis o que ele disse:

— Tivemos enormes dificuldades na arca.  Os animais diurnos tinham de ser alimentados de dia, e os animais noturnos de noite. Meu pai não sabia que comida dar à pequena zikta. Um dia ele cortou uma romã ao meio e da fruta caiu um verme, que foi imediatamente devorado pela zikta. Dali Continue lendo →

Os ocupantes da arca

NOÉ: Os ocupantes da arca

A arca foi completada de acordo com as instruções contidas no livro de Raziel. A próxima tarefa de Noé foi reunir os animais.

Ele teria de levar consigo nada menos do que trinta e duas espécies de pássaros e trezentas e sessenta e cinco espécies de répteis. Deus, no entanto, ordenou aos animais que se dirigissem até a arca, e sem que Noé tivesse de mover um dedo todos eles agruparam-se ali.

Na verdade os animais compareceram em número maior do que seria necessário, pelo que Deus instruiu Noé a sentar-se junto à porta da arca e prestar atenção em quais animais deitavam e quais ficavam em pé assim Continue lendo →

O livro santo

NOÉ: O livro santo

Foi necessária grande sabedoria na construção da arca, que deveria ter espaço para abrigar todos os seres da terra, até mesmo os espíritos. Apenas para os peixes não foi necessário prover lugar. Noé adquiriu a sabedoria necessária no livro que Adão deu ao anjo Raziel, no qual todo conhecimento celestial e terreno está registrado.

Enquanto o primeiro casal estava ainda no paraíso, aconteceu certa vez que Samael, acompanhado de um rapazinho, chegou até Eva e pediu que ela ficasse de olho em seu filho até que ele voltasse. Eva prometeu que o faria.

Quando voltou de uma caminhada pelo paraíso, Adão encontrou Continue lendo →

A geração do dilúvio

NOÉ: A geração do dilúvio

Enquanto os descendentes de Caim assemelhavam-se a seu ancestral em sua depravação e pecaminosidade, os descendentes de Sete levavam uma vida piedosa e ordeira, sendo que a diferença entre as duas linhagens refletia-se em seus locais de residência. A família de Sete fixara-se nas montanhas próximas ao Paraíso, enquanto a família de Caim residia no campo de Damasco, o lugar onde Abel foi assassinado por Caim.

Infelizmente, na época de Matusalém, logo após a morte de Adão, a família de Sete corrompeu-se à maneira dos cainitas. As duas linhagens uniram-se uma à outra a fim de cometerem toda espécie Continue lendo →


Depositado em juízo por Paulo Brabo · Desde 2004 · Sobre o autor e esta Bacia · Leia um livro · Olhe desenhos · Versões digitais dos manuscritos da Biblioteca do Monastério de São Brabo nas Índias Ocidentais · Fale comigo · A Bacia das Almas informa que ao ler esta página você se compromete contratualmente a concordar com a totalidade do seu conteúdo, obrigando-se ainda a alinhar suas crenças e prioridades às nossas; subscrever todas as nossas opiniões e juízos; acalentar, fomentar, promover e maravilhar-se diante da lucidez de tudo que dizemos até o fim dos seus dias