Baby, it’s cold outside (1949)

Este documento contém clipes de vídeo que só podem ser visualizados na página da Bacia na internet.

Letra e música de Frank Loesser, Oscar de melhor canção em 1949. Esther Williams e Ricardo Montalban (anos antes de A Ilha da Fantasia), depois Red Skelton e Betty Garrett, em Neptune’s Daughter.

[flv:http://d3axmvvqfkltb2.cloudfront.net/movies/2007-10-20-cold-outdside.flv 378 300]

Não posso ficar – Mas meu bem, está frio lá fora
Tenho mesmo de ir – Meu bem, está frio lá fora
A noite foi mesmo – Estava esperando você aparecer
Especial – Deixa eu segurar as suas mãos, estão um gelo!
Minha mãe Continue lendo →

Quatermass 2

Este documento contém clipes de vídeo que só podem ser visualizados na página da Bacia na internet.

Produção britânica de 1957, continuação de The Quatermass Experiment e refilmagem de um seriado de televisão produzido pela BBC dois anos antes. O filme é honorável precursor da atmosfera de pesadelo de Invasores de Corpos, das infernais infecções de Alien, o 8º Passageiro e da paranoia conspiratória de Contatos Imediatos do Terceiro Grau. Assista até o final.

O clímax do filme, que preferi não revelar aqui, oferece deliciosas criaturas Continue lendo →

Filmes de confinamento

Os filmes são os sonhos coletivos. Sem premeditação alguma, os filmes de cada época acabam refletindo as preocupações e ansiedades da sociedade naquele determinado momento.

Os anos 50 foram os anos dos filmes de monstro: Them!, The Beast from 20000 Fathoms, Tarantula, O Monstro da Lagoa Negra. Na esmagadora maioria dessas histórias, o gatilho que criava, despertava ou liberava o(s) monstro(s) era algum teste ou vazamento nuclear: projeção do medo da catástrofe nuclear sustentado pela Guerra Fria.

Os anos 70 foram os anos dos filmes catástrofe: Inferno na Torre, Tubarão, Aeroporto, Piranha, Terremoto, O Destino do Poseidon. Continue lendo →

Os requintados prazeres do filme de monstro

Clique para ampliar

Há no paraíso uma ala inteira em que é sempre de madrugada e em todas as televisões está passando incessantemente filmes de monstro. Um após o outro.

Desde que me conheço por gente, e nisso não mudei nada, poucas coisas me dão maior prazer do que filme de monstro – especialmente se for preto e branco, da década de 50. Se o monstro for gigante (formiga, aranha, gafanhoto) melhor ainda. Se for gigante e pré-histórico e invadir alguma cidade – alcançou a perfeição.

Recentemente extraí da internet (por aqueles meios que não se menciona), um irretocável filme de monstro que nunca havia assistido, mesmo tendo sido Continue lendo →

A única mancha

Curiosamente, saiu hoje mesmo a notícia da morte do diretor de A Bolha Assassina, Irvin Shortess “Shorty” Yeaworth Jr., num acidente de carro na Jordânia.

A notícia conta que Yeaworth era graduado em Teologia, diácono da Igreja Presbiteriana e produziu mais de 400 de filmes com temas religiosos e motivacionais além daquele que todo mundo assistiu. Na verdade, A Bolha foi uma experiência para a sua produtora Good News (Boas Novas).

A esposa do diretor garante que o marido “não tinha lá muito orgulho” de ter dirigido A Bolha.

Yeaworth, que morreu aos 78 anos de idade, estava para inaugurar um parque temático na Jordânia Continue lendo →


Depositado em juízo por Paulo Brabo · Desde 2004 · Sobre o autor e esta Bacia · Leia um livro · Olhe desenhos · Versões digitais dos manuscritos da Biblioteca do Monastério de São Brabo nas Índias Ocidentais · Fale comigo · A Bacia das Almas está na internet