Não abra antes do Natal • A Bacia das Almas

 

Paulo Brabo, 24 de dezembro de 2009

Não abra antes do Natal

Estocado em Manuscritos

De um cínico e um pessimista nunca se deveria pedir para deixar uma mensagem de Natal, sob o risco de arruinar, por assim dizer, o espírito da coisa. E desses, sinto revelar, sou o maior; os outros pessimistas que conheço são, na melhor das hipóteses, amadores, cabalmente insuficientes em sua análise, e, na pior e mais desprezível das hipóteses, otimistas em pele de lobo (estou falando com você, Luiz Henrique).

Sou tão implacavelmente pessimista que prefiro em geral até mesmo me abster de mencionar o quanto as coisas estão indo mal, pelo mero receio de produzir inadvertidamente em alguém, pelo contraste, a ilusória esperança de que alguma coisa possa ainda ser consertada.

Tudo que posso tentar fazer neste mais saturado e irreconhecível dos dias, num esforço concentrado e inteiramente não-natural, é reunir a força de vontade necessária para me abster de dizer o que precisa ser dito. Deixo-vos então este custosíssimo presente: meu silêncio.

Feliz Natal.

Paulo Brabo @saobrabo

Escrevo livros, faço desenhos e desenho letras. A Bacia das Almas é repositório final de ideias condenadas à reformulação eterna.

Arquivado sob as rubricas

 

<
>

Depositado em juízo por Paulo Brabo · Desde 2004 · Sobre o autor e esta Bacia · Leia um livro · Olhe desenhos · Versões digitais dos manuscritos da Biblioteca do Monastério de São Brabo nas Índias Ocidentais · Fale comigo · A Bacia das Almas já foi longe demais