Deixa queimar • A Bacia das Almas

 

Paulo Brabo, 14 de fevereiro de 2005

Deixa queimar

Estocado em Goiabas Roubadas

TÉODOTO (apressando-se pelo corredor entre eles). O fogo espalhou-se dos seus navios. A primeira das sete maravilhas do mundo arruína-se. A biblioteca de Alexandria está em chamas.

CÉSAR. É só isso?

TÉODOTO (incapaz de crer no que está ouvindo) Só isso! César, você quer entrar para a posteridade como um soldado bárbaro ignorante do valor dos livros?

CÉSAR. Teódoto, eu mesmo sou escritor, e posso lhe dizer que é melhor para os egípcios viver as suas próprias vidas do que meramente sonhá-las com a ajuda de livros.

TEÓDOTO (ajoelhando-se, com uma genuína emoção literária: a paixão do pedante). César, apenas uma vez a cada dez gerações de homens o mundo ganha um livro imortal. Sem a história, a morte irá relegar o próprio César ao nível do mais simples soldado.

CÉSAR. A morte virá de qualquer forma. Não peço túmulo melhor.

TEÓDOTO. O que está queimando ali é a memória da humanidade.

CÉSAR. É uma memória vergonhosa. Deixe que queime.

Da peça César, do assustadoramente lúcido Bernard Shaw. Ato II, cena 5.

THEODOTUS (rushing down the hall between them). The fire has spread from your ships. The first of the seven wonders of the world perishes. The library of Alexandria is in flames.

CAESAR. Is that all?

THEODOTUS (unable to believe his senses). All! Caesar: will you go down to posterity as a barbarous soldier too ignorant to know the value of books?

CAESAR. Theodotus: I am an author myself; and I tell you it is better that the Egyptians should live their lives than dream them away with the help of books.

THEODOTUS (kneeling, with genuine literary emotion: the passion of the pedant). Caesar: once in ten generations of men, the world gains an immortal book […] Without history, death would lay you beside your meanest soldier.

CAESAR. Death will do that in any case. I ask no better grave.

THEODOTUS. What is burning there is the memory of mankind.

CAESAR. A shameful memory. Let it burn.

Paulo Brabo @saobrabo

Escrevo livros, faço desenhos e desenho letras. A Bacia das Almas é repositório final de ideias condenadas à reformulação eterna.

Arquivado sob as rubricas

 

<
>

Depositado em juízo por Paulo Brabo · Desde 2004 · Sobre o autor e esta Bacia · Leia um livro · Olhe desenhos · Versões digitais dos manuscritos da Biblioteca do Monastério de São Brabo nas Índias Ocidentais · Fale comigo · A Bacia das Almas apoia causas perdidas