A sétima seção de «As divinas gerações» se chama «Da fé uma profissão» • A Bacia das Almas

 

Paulo Brabo, 03 de dezembro de 2013

A sétima seção de «As divinas gerações» se chama «Da fé uma profissão»

Estocado em Pormenor

E tem, acredite, 15 capítulos.

Veja o que têm a dizer esses dois parágrafos de Traga-me um futuro novo:

Esse compromisso com uma onda sem volta de inovação foi, na verdade, articulado em atos pelas testemunhas e em palavras por todos os proponentes do reino. “As coisas velhas já passaram”, decreta o Apóstolo, e celebra ao mesmo tempo a recém-instaurada vertigem: “tudo agora se fez novo”. O livro de Apocalipse descreve a dissolução sistemática (e, em última instância, absolutamente revolucionária) de todas as estruturas de intimidação e de dominação jamais empunhadas pela humanidade, e conclui sua ascensão rumo a uma impoluta glória com a mais desconcertante e embaraçosa autodefinição da divindade: “Eis que faço novas todas as coisas”.

Um Deus comprometido com a novidade, e não com a tradição, nunca voltou a frequentar os sonhos dos homens. E Jesus, seu representante e desbravador, só tinha olhos, gestos e palavras para o reino dessa devastadora inovação. Ele alertou claramente que o vinho da sua revolução era de natureza tão ebuliente que não podia ser contido em recipientes de couro velho, que não se mostrariam flexíveis o bastante para preservá-lo e distribuí-lo. O sumo perpetuamente renovado do reino requer continuamente recipientes novos, sempre temporários e sempre irrestritamente maleáveis. O novo só se dobra diante da necessidade de uma renovação adicional: a semente deve morrer para brotar, o homem deve morrer para ressuscitar. As coisas velhas já passaram, e o que um dia já foi unânime e útil deve ser deixado agora mesmo para trás.

DA FÉ UMA PROFISSÃO

1. Em que o Brabo realmente acredita
2. Da universalidade das generalizações
3. Número ordinal
4. Em que o Brabo realmente realmente acredita
5. História universal do sarcasmo de Lutero
6. Uma confissão necessária
7. De como nos congratulamos sem cessar
8. O não-banquete: a internet e a aparência do diálogo
9. Sobre escrever
10. O apelo da divina carne
11. Traga-me um futuro novo
12. A entropia da instituição
13. Epitáfio
14. A impenitente fornicação cristã
15. A ameaça da alegria

 

LEIA TAMBÉM:
Aparentemente não é cedo demais para uma edição em papel de As divinas gerações

Paulo Brabo @saobrabo

Escrevo livros, faço desenhos e desenho letras. A Bacia das Almas é repositório final de ideias condenadas à reformulação eterna.

Arquivado sob as rubricas

 

<
>

Depositado em juízo por Paulo Brabo · Desde 2004 · Sobre o autor e esta Bacia · Leia um livro · Olhe desenhos · Versões digitais dos manuscritos da Biblioteca do Monastério de São Brabo nas Índias Ocidentais · Fale comigo · A Bacia das Almas informa que ao ler esta página você se compromete contratualmente a concordar com a totalidade do seu conteúdo, obrigando-se ainda a alinhar suas crenças e prioridades às nossas; subscrever todas as nossas opiniões e juízos; acalentar, fomentar, promover e maravilhar-se diante da lucidez de tudo que dizemos até o fim dos seus dias